Indiferença

Dessa vez prometo
Que a luta não terá ajudantes
Mesmo que a dor seja equivalente
Àqueles buracos na alma
Não vou pedir conselhos ou um ombro amigo

Não vou chorar
Apesar de esse ser meu único pensamento
Deitar e pensar
Não é uma opção para os próximos dias
O que eu posso fazer é resistir e continuar

O desprezo e o insucesso
Ainda são os vigilantes da minha prisão
Eu os conheço
E eles sabem quem eu sempre fui
Mas dessa vez eu não temo mais pela minha vida
Talvez isso seja o princípio da coragem
A arma fatal que nem a dor superaria

Anúncios

Publicado em 02/05/2011, em Poemas e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Muito bom. (y

  2. muito bom !!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: