O mar infinito

Eu quero ver o mar
E os homens sábios que olham
Para o horizonte que se
Fecha no limite do olhar
Estar nas rochas quando
As ondas chegarem de viagem
E sorrir discretamente
Enquanto os cacos salgados
Colorem uma tarde sem vida
Iluminam pensamentos suicidas

Preciso deitar na areia fria
E entender o que ninguém
Consegue explicar
O brilho opaco no céu
Tenta mostrar o caminho
Ou alguma razão para
O que não tem sentido

Eu nunca tive respostas
Nem mesmo um rápido sorriso
A gente desanima quando
O tempo passa e não acontece
O que foi prometido

Anúncios

Publicado em 01/02/2011, em Poemas e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Amo seus poemas..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: