Pequeno Universo


Conte-me absurdos sinceros da vida
Coisas que eu não possa entender
Vamos conversar sobre a sorte
Ou da loucura em que sentimos prazer
Sendo caindo no abismo profundo
Como um buraco sem fim
Escondido no canto do muro
Ou caminhando contra o fogo encenado
Subindo ou descendo aquele as escadas
Você nunca sabe qual será o próximo passo

São as palavras que nunca deram sentido aos por quês
É aquele medo que sempre sentimos ao chegar
As cores te dizem que sua pupila já começou a dilatar
Vamos de novo entrar juntos neste pequeno
E divertido universo
Não sei ao certo se isso é o certo
O cara no espelho sorriu quando você se virou
Me conte agora sobre esses cortes
Os lábios recriam aquilo que o olhar não explicou

É um pequeno bonito universo
Pequeno louco e perverso
É um tiro as cegas em um campo deserto
Muitas vezes é melhor nem chegar perto
Vamos correr agora, é assim que ele mandou

Anúncios

Publicado em 13/07/2010, em Poemas e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Esse poema é muito lindo e sincero que chega até a inspirar quem o lê.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: