Eremita

Um homem solitário
Era tudo o que todos
Precisavam saber
Tudo aconteceu por querer
Em uma tarde sem por que
De repente esqueceu os amigos
E parou de falar com as pessoas
Não mais saia de dia
A luz não o conhecia
Não mais ficava na janela
Sorrindo e contemplando
Observando a vida a qual não pertencia

Ninguém saberia entender
Que ele tinha uma vida secreta
O sorriso que foi embora
Em alguma tarde chuvosa
Também trouxe aquela arma escondida
Ela foi encontrada intacta
Ao lado da cama
Junto com o corpo que ali
Há vinte anos dormia

by Diego Z.

Anúncios

Publicado em 19/08/2009, em Poemas e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. 😀 Isso sim é que é um poema 😀

  2. Perfeito seus poemas pqp *O*

  3. otimos…
    eu sou solitário, será que esse é o meu fim?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: