Rotina

Não há ninguém la fora
Você quer olhar mais uma vez?
Não se esqueça de voltar com a cara fechada
Dizendo que ali não tem nada
Que valha a pena ver
Zombe de mim para que todos vejam
Chame seus amigos e comente
Que aquele cara está com a mesma
Roupa da semana passada
As olheiras são suas companheiras
E novamente ele está indo ao banheiro
Procurar prazer com a cara no vaso

Deve ter algo no andar de cima
Mas irei agora pro escuro
Aonde às vezes as luzes brilham
É difícil se mexer
E eu sinto aquele enjôo novamente
Um pouco do lado tem um velho conhecido
Conversamos sobre a lógica da vida outro dia
Mas prefiro fingir que não vi
Vou sair daqui antes que ele
Convide-me para o círculo da alegria

Ali no balcão há alguma bebida
Pouca coisa,
No final, como minha vida
Vamos beber rápido
Antes de ficarmos velhos demais pra se acabar

By Diego Z.

Anúncios

Publicado em 04/06/2009, em Poemas e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. Seus poemas estâi ficando cada vez melhor continue assim^^

  2. Como sempre seus poemas me surpreendem, gostaria de ter essa capacidade de colocar no papel tudo aquilo que sinto e vejo ao meu modo! parabéns!

    • darkestdreams

      Olá Felipe,

      Qualquer um pode ter essa capacidade, desde que o que você coloque no papel seja realmente sincero, o que voce mesmo sente, nunca o que apenas imagina…

      treinamento sempre é a base de tudo 😉

      e obrigado por ter gostado…

  3. um poco de humor :O ? mas ficou legal como os outros 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: