Gelo

Eu sentia que as coisas
Estavam diferentes
Naquele dia
Diziam que era a noite
Mais fria do ano
Não sei explicar
Mas simplesmente
Queria ir para o lago
Apesar da minha alma
Implorar pela vida…

No começo a dor
Era tanta que eu nem
Conseguia gritar
Boca imóvel…
Hoje descobri que
Na verdade eu não estava afim
Não queria lutar
Nem teria por quê.
Saindo da água
Aos poucos minhas pernas
Recusavam-se a responder,
Em alguns minutos eu cai
E ali fiquei, sem problemas
A dificuldade em pensar
Crescia a cada segundo
Não dava para escutar
Eu estava mudo.
Eu não precisava
Pensar naquela noite
Deixei de fazer tudo
Por que passei a vida toda pensando

Roxo é minha cor favorita
E fiquei feliz por fazer
Parte de mim agora
Costumava ser inquieto,
Dificilmente parado,
Sempre angustiado
Não preciso mais respirar
Tenho um sorriso congelado
As fotos no frio são
As mais bonitas,
Sentidas pelo coração
Tornei-me uma delas,
Posso não estar mais aqui,
Mas deixei a perfeição.

By Diego Z.

* Sobre alguém que gostava muito do frio, e um certo dia abriu os braços pra ele. Ele sabia que seria uma única vez…

Anúncios

Publicado em 23/04/2009, em Poemas e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: